Muitos noivos estão decidindo convidar um amigo para celebrar o casamento deles, ou seja, fazer um discurso especial para marcar o rito, a cerimônia do casamento.

Isso acontece por vários motivos, que vamos falar aqui nesse post, quando vale a pena convidar um amigo e quando não vale a pena fazer isso.

Redução de custos do casamento

Esse é sem dúvida o principal motivo para se convidar um amigo para celebrar o casamento, isso porque o preço médio dos celebrantes de casamento já está em torno de R$ 2.000,00 em 2020.

O que aconteceu é que os bons profissionais ficaram sem agenda, com tantos adiamentos por conta da pandemia do coronavírus, e a procura aumentou muito, a disputa pelo sábado, quando todos querem se casar.

Com a agenda cheia, e poucos sábados livre os celebrantes aumentaram seus preços para a casa dos R$ 2.000,00 e alguns já estão cobrando R$ 3.000,00.

É um serviço que realmente dá trabalho, conhecer a história dos noivos nos detalhes, memorizar todos os eventos e nomes, e passar isso de uma forma tranquila e serena numa linda cerimônia de casamento.

Claro que os celebrantes de baixa qualidade, aqueles que lêem cerimônias prontas, o mesmo texto em todos os casamentos, continuam cobrando qualquer valor, muitas vezes só a gasolina, mas não recomendamos esse tipo de serviço.

Se você não quer algo de baixa qualidade, e não pode pagar por um celebrante de casamento premium, então recomendamos que convide sim um amigo para fazer um lindo discurso para o casamento de vocês e marcar essa passagem na vida de vocês e de toda a família.

Efeito civil do casamento

Se vocês trabalham no regime CLT e precisam que o efeito civil tenha lugar no mesmo dia da cerimônia social, recomendamos a contratação de um celebrante profissional.

Isso porque apenas o juiz de paz, aquele nomeado pelo cartório para ler os termos para vocês no cartório ou em diligência, e os ministros religiosos, é que podem celebrar casamento com efeito civil no Brasil.

Outrossim, vocês devem procurar não apenas por um celebrante de casamento, mas também por um que seja ministro religioso.

Isso dará o direito legal para vocês do período de gala, que depende da sua empresa, do contrato que você tem, pode ser de 3 dias úteis subsequentes ao casamento, ou de 5 dias úteis.

Quer dizer que se você se casa no sábado, e caso você não trabalhe aos domingos, sua gala passa a valer a partir de segunda-feira. Mas se você é por exemplo enfermeira e domingo é um dia útil pra você, então passa a valer a partir de domingo.

Um amigo convidado, por mais que ele seja capitão de navio, não poderá dar a legalidade do casamento que vocês precisam.

Quando a emoção toma conta

Um amigo ou amiga, ou até mesmo um membro da família, como pai, mãe, irmãos,  por não serem profissionais no assunto e por ter um grande envolvimento emocional com os noivos, podem se emocionar mais do que os próprios noivos.

Esse é um fator imprevisível, e que foge no controle na hora do casamento. Por mais que a pessoa se prepare, estude, pense, na hora mesmo é tudo diferente.

Nós já presenciamos situações de que o convidado pelos noivos se emocionou mais do que todo mundo e não conseguia falar, e por isso chorava mais ainda, pois sabia que estava estragando a cerimônia dos noivos.

Os convidados podem começar a se irritar porque começam a ficar com fome e impacientes com o chororo, que no começo é bonitinho, mas se durar muito tempo pode incomodar

Nossa recomendação é que o convidado pelos noivos receba orientações profissionais, de um celebrante de casamento profissional, para que saiba controlar a respiração e suas emoções no grande dia.

Daniel Santos, que vive de celebrar casamentos oferece esse serviço de consultoria para celebrantes convidados, não profissionais, de como celebrar um casamento.

Mas se você acha que o seu convidado dá conta do recado você pode providenciar para ele pelo menos um roteiro, um guia para seguir e um texto completo para cerimônia de casamento, assim ele terá um norte e saberá seguir os 8 momentos da cerimônia tradicionais, ou adaptar para vocês.