A popularidade da harmonização facial entre famosos tem motivado a curiosidade e até mesmo a desconfiança do público em relação ao tratamento, principalmente no que se refere aos resultados e a relação com o Botox.

O Botox®, na verdade, é o nome comercial da primeira empresa a vender a substância toxina botulínica para fins estéticos no Brasil, portanto, existem outras empresas que, atualmente, disponibilizam a substância para tratamentos como a harmonização facial.

A seguir entenda melhor o que é a harmonização facial e também como a toxina botulínica é usada nesse tratamento estético.

O que é a harmonização facial? 

A harmonização facial consiste na junção de diferentes técnicas para promover uma face mais simétrica e harmônica aos pacientes. Trata-se de uma abordagem pouco invasiva, realizada no consultório dermatológico e sem necessidade de afastamento das atividades.

Para realização da harmonização facial o dermatologista conduz inicialmente um estudo da face do paciente, entendendo as insatisfações dele com o rosto e também as expectativas com o tratamento.

A avaliação especializada é fundamental, pois a harmonia da face é uma referência muito subjetiva. Por exemplo, uma insatisfação com as bochechas proeminentes pode ser causada pela falta de projeção do queixo e do nariz.

Dessa forma, o dermatologista ou cirurgião plástico são os profissionais mais qualificados para compreender as sutilezas da estética facial e determinar qual a abordagem mais satisfatória.

Essa análise inicial é relevante, pois a harmonização facial pode incluir diferentes técnicas de acordo com as necessidades do paciente, como:

  • aplicação de toxina botulínica;
  • aplicação de ácido hialurônico;
  • preenchedores faciais;
  • rinomodelação;
  • bichectomia;
  • microagulhamento;
  • peeling;
  • lifting com fios.

Com isso, a escolha de quais tratamentos vão compor a harmonização facial é tão importante quanto a condução das diferentes técnicas. 

Como a toxina botulínica é usada na harmonização facial?

Apesar da diversidade de possibilidades, a aplicação de toxina botulínica é uma abordagem que frequentemente é incluída nos tratamentos de harmonização facial.

A toxina botulínica é uma proteína extraída da bactéria Clostridium botulinum responsável pela doença botulismo, no entanto, a versão para tratamentos estéticos é purificada e manuseada em pequenas proporções. 

Quando aplicada no músculo, a toxina botulínica funciona como um bloqueador neuromuscular, impedindo a transmissão de estímulos dos neurônios para os músculos, que não respondem. Dessa forma, a substância impede os movimentos do músculo específico.

A repetição dos movimentos da face, como ao falar, comer, franzir a testa ou pressionar os olhos, é a principal responsável pelo surgimento das rugas e intensificação das linhas de expressão.

Dessa forma, a toxina botulínica age reduzindo as rugas dinâmicas, que são aquelas que se movimentam conforme as expressões faciais. Com isso, o tratamento visa, principalmente, o rejuvenescimento facial e também a prevenção do surgimento ou intensificação desses sinais.

Os resultados com a toxina botulínica, assim como de outras técnicas que compõem a harmonização facial, são temporários, durando cerca de 6 meses após a aplicação quando os neurônios criam novos caminhos de comunicação com os músculos.

A quantidade e forma de manuseio da toxina botulínica e de outras substâncias usadas na harmonização facial são determinantes para bons resultados estéticos e segurança do procedimento, de forma que é imprescindível que a técnica seja conduzida por um dermatologista.